Gengivite: entenda 3 estágios da gengiva inflamada

A gengiva inflamada é um problema sério que aflige a saúde bucal e pode desencadear diversas outras doenças relacionadas não só a gengiva, como também a outras partes da boca e os dentes. 

A gengivite, como é conhecida o problema de gengiva inflamada, deve ser uma questão levada a sério que necessita atenção e diversos cuidados. 

Esse problema geralmente acontece devido a restos de alimentos na gengiva.

Através dos sangramentos, é possível perceber que a gengiva está inflamada, justamente quando a mesma começa a sangrar sem motivo aparente, ou, até mesmo, se é possível perceber inchaço ou uma cor anormal.

Vale lembrar que, até mesmo pessoas que fazem uso de facetas de porcelana antes e depois, podem apresentar gengivite caso não tenham acompanhamento médico necessário através de visitas de rotina ao dentista.

Confira a seguir algumas das principais características da inflamação na gengiva, bem como os sintomas, tratamentos e formas de evitar esse problema que pode ser muito dolorido e incômodo.

O que é gengivite?

Como já foi mencionado anteriormente, gengivite é uma doença bucal muito comum entre as pessoas no mundo todo, normalmente causada por restos de alimentos que se fixam justamente na parte da gengiva entre os dentes. 

Isso acaba acontecendo justamente porque, através desses restos de alimento, a gengiva é atacada por uma série de bactérias e microorganismos que causam sua inflamação. 

Uma vez inflamada, a gengiva irá apresentar sintomas, bem como todas as partes do corpo quando estão doentes. O sintoma mais comum é justamente o sangramento da gengiva, que ao contrário do que muitas pessoas acreditam, não é nada normal. 

Tendo dentes naturais, ou prótese dentária, o comum é que a gengiva não sangre. 

Outro sintoma é o inchaço da gengiva ou até mesmo a retração da mesma, que pode acabar deixando as raízes do dente mais expostas, questão que gera sensibilidade. 

Com isso, é possível concluir que, assim como a cárie, a gengivite é muito ruim e faz mal não só para a saúde bucal, como também atrapalha uma boa qualidade de vida, uma vez que ela pode causar dores, além de desenvolver outros problemas dentários. 

Sabe-se, então, que é extremamente importante prestar atenção na higiene bucal, principalmente os pacientes que utilizam aparelho dental invisível, para que, depois de ser tratada, a gengivite não volte.

Como tratar a gengivite?

Existem muitos caminhos pelos quais a gengivite pode ser tratada. Dessa forma, o ideal é buscar um dentista no qual você confie para que ele possa avaliar a situação e indicar qual o melhor caminho a ser seguido para cada caso.

Dessa forma, é possível afirmar que existem alguns tratamentos que são comuns para curar essa doença, bem como, existem remédios para tratar dos sintomas e até mesmo impedir que outras doenças bucais acabem surgindo a partir da gengivite. 

Depois de diagnosticada, a gengivite pode ser tratada através da remoção das placas bacterianas e do tártaro, através da raspagem. Outro tratamento comum é a limpeza manual dos dentes e suas raízes com um aparelho de ultrassom.

Vale lembrar que em casos mais graves, chega a ser necessário a realização de uma cirurgia para facilitar o acesso do dentista às raízes dos dentes. Depois de todos esses procedimentos é possível realizar um clareamento dentário.

Uma vez que é possível identificar a inflamação no começo, o tratamento pode acabar sendo mais simples, utilizando cremes dentais e enxaguantes bucais específicos.

Isso porque, estes são suficientes para o combate das bactérias responsáveis pela inflamação dos tecidos da gengiva, agindo de forma anti-inflamatória. 

Como prevenir a gengivite?

Assim como diz o ditado popular, é muito mais fácil prevenir do que remediar. Dessa forma, com a gengivite não é diferente. Isso porque, é possível prevenir essa doença através de uma boa rotina de escovação e higiene bucal. 

Lembrando que, uma boa higiene bucal é capaz de prevenir mais de 90% de todas as doenças bucais que podem surgir na boca. Essas doenças acabam tendo uma origem comum, o resto de alimentos nos dentes, gengivas e língua. 

Faça questão de escovar os dentes no mínimo três vezes ao dia, ou após todas as suas refeições, utilizando sempre o fio dental. Além disso, busque fazer visitas regulares ao dentista, mesmo que não precise fazer nada em específico, como um clareamento dental.
Conteúdo originalmente desenvolvido pela equipe do blog Qualivida Online, site no qual é possível encontrar diversas informações e conteúdos sobre os cuidados com a saúde física e mental.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

10 + 7 =